SÁBADO 16 NOVEMBRO, 21H30

CCVF
Andrew Rathbun Large Ensemble

John O'Gallagher saxofone soprano e alto
Tara Davidson saxofone alto, flauta, clarinete
Quinsin Nachoff saxofone tenor, clarinete
Geof Bradfield saxofone tenor, clarinete
Hristo Goleminov saxofone barítono, clarinete baixo
Luís Macedo trompete
Ricardo Formoso trompete
Scott Cowan trompete
Russ Johnson trompete
Mike Fahie trombone
William Carn trombone
Gonçalo Dias trombone
Andreia Santos trombone
Aubrey Johnson voz
Ricardo Pinheiro guitarra
Jeremy Siskind piano
Clarke Sommers baixo
Martijn Vink bateria
Tim Hagans solista, trompete
Andrew Rathbun composição, arranjos, saxofone soprano
Texto de Margaret Atwood

Preço
15,00 eur / 12,50 eur c/d

COMPRAR

COMPRAR

Assinatura do Festival
90,00 eur

COMPRAR

COMPRAR

Image

A edição de 2019 do Guimarães Jazz encerrará com o Large Ensemble do saxofonista, compositor e arranjador canadiano Andrew Rathbun, interpretando as suas Atwood Suites, inspiradas na poesia da escritora Margaret Atwood. Rathbun é atualmente um dos nomes proeminentes da nova geração do jazz e, apesar da grande influência do legado do pós-bop na sua música, o trabalho artístico deste saxofonista ensaia aproximações à composição clássica, focando-se na escrita de suites e peças orquestrais e, pontualmente, na revisitação de obras de compositores de música erudita como Ravel e Glück.

Com uma sólida formação musical adquirida no New England Conservatory e na Manhattan School of Music, Andrew Rathbun começou a sua afirmação no circuito jazzístico nova-iorquino no final década de 90 do século passado, altura em que começou a gravar e a interpretar ao vivo a sua música. O momento mais marcante deste processo de afirmação deu-se em 2002 com a edição de Sculptures, um quinteto liderado por Rathbun e que contou com a participação do lendário trompetista canadiano Kenny Wheeler, naquele que foi o primeiro de vários projetos conjuntos até à morte de Wheeler, em 2014. Além da colaboração com algumas das orquestras mais importantes do jazz, tais como a Danish Radio Jazz Orchestra e a Brussels Jazz Orchestra, Rathbun tem também desenvolvido um trabalho consistente enquanto líder de diferentes formações – duo, trio, quarteto e quinteto –, ao lado de grandes músicos como George Colligan, George Garzone e Ben Monder.

O trabalho artístico de Rathbun das últimas duas décadas é marcado decisivamente pela sua proximidade com a literatura, e especificamente com a poesia de Margaret Atwood. O universo poético da escritora canadiana foi pela primeira vez explorado no álbum True Stories, editado em 2000 e que conta com as participações, entre outros, da vocalista brasileira Luciana Sousa e do trompetista Taylor Haskins, e constitui, tal como o título do álbum indica explicitamente, a grande inspiração das Atwood Suites. Composta por três peças distintas em que a imagética distópica da escritora é traduzida numa música multitextural e complexa, esta obra orquestral é enriquecida pela expressividade de um ensemble de extraordinários músicos, entre os quais se pode destacar a participação do solista Tim Hagans, do trompetista Seneca Black e de Martijn Vink, um extraordinário baterista holandês que nesta atuação no Guimarães Jazz se juntará pela primeira vez ao Large Ensemble.

Uma obra de paisagens emocionais para o século XXI, Atwood Suites veicula uma mensagem de inquietação política e elevação poética que, pela voz de Aubrey Johnson, narra um mundo em profunda transformação ao qual a arte tem de dar resposta. No final de uma década convulsiva, o Guimarães Jazz assinala este momento de transição com um espetáculo musical que, embora firmemente ancorado na tradição da música ocidental, se propõe resgatar a palavra escrita para um espaço de iluminação e expansão criativa sem fronteiras, e a refletir sobre um presente em desintegração, prestes a transformar-se em futuro.