SÁBADO 9 NOVEMBRO, 21H30

CCVF
Vijay Iyer and Craig Taborn

Vijay Iyer piano
Craig Taborn piano

Preço
15,00 eur / 12,50 eur c/d

COMPRAR

COMPRAR

Assinatura do Festival
90,00 eur

COMPRAR

COMPRAR

Image

O pianista norte-americano de descendência indiana Vijay Iyer (n. 1971, EUA) constitui um exemplo paradigmático das exigências que se colocam a um músico no século XXI. Apesar de possuir formação em violino clássico, Iyer é essencialmente um autodidata com um currículo educativo multidisciplinar que incluiu estudos em matemática, física, cognição musical e, finalmente, em composição e improvisação. Após ter decidido enveredar definitivamente por uma carreira na música, este pianista tem vindo a desenvolver ao longo das últimas décadas um corpo de trabalho notável enquanto compositor, improvisador e colaborador de nomes fundamentais do jazz e da música contemporânea tais como Roscoe Mitchell, Steve Coleman e, mais recentemente, Wadada Leo Smith.

O percurso de Vijay Iyer é também marcado por duas relações artísticas epicentrais: no território mais estrito do jazz com o saxofonista Rudresh Mahanthappa e, numa outra órbita de expressão musical, com o produtor de hip-hop e poeta Mike Ladd. Nos anos mais recentes, Iyer tem-se dividido entre o trabalho de composição para filmes, concertos e peças de dança, e a criação musical pura, da qual se destaca o álbum em trio Accelerando, de 2012, o duo com o histórico trompetista Wadada Leo Smith, e, mais recentemente, o seu trabalho enquanto líder do seu sexteto. Músico eclético e cerebral, Iyer apresenta já uma obra que, nas suas múltiplas dimensões e intenções artísticas, se pode considerar uma das mais relevantes do jazz contemporâneo.

Considerado pela Downbeat um dos visionários da nova vaga do jazz, Craig Taborn (n. 1970, EUA) é certamente um dos mais respeitados pianistas da atualidade, tanto pela qualidade e integridade artística do seu trabalho como pela postura de reserva e distanciamento em relação ao sistema de estrelato que domina a indústria do entretenimento. Embora tenha estudado composição musical numa fase ainda precoce, Taborn é essencialmente, tal como Iyer, um autodidata com formação universitária da área das ciências sociais e humanas que enveredou inesperadamente por uma carreira impressionante no jazz enquanto compositor e sideman de nomes fundamentais desta música, tais como os de Tim Berne, Steve Coleman, Evan Parker, Michael Formanek ou Chris Potter. A linguagem musical de Taborn, oscilando entre a composição e a improvisação, entre a melodia e a dissonância, coloca-o numa linhagem que começa em Monk e converge para uma miríade de referências onde encontramos ecos do swing canónico do jazz, da abordagem híper-expressiva de Cecil Taylor e da música eletrónica abstracta e minimal, bem como de inúmeras outras formas de expressão musical.

Reconhecidos unanimemente como dois dos mais influentes músicos de jazz do presente, Vijay Iyer e Craig Taborn criam em duo uma música que, apesar de longe dos brilhos fátuos de um certo jazz-pop em voga no final da segunda década dos anos 2000, aspira a projetar novas possibilidades de expressão musical na música contemporânea e de apreensão do mundo em toda a sua multidimensionalidade. O recente e muito aclamado registo discográfico Transitory Poems documenta uma relação artística entre dois pianistas, iniciada em 2012, que, apesar das suas diferenças de estilo – Iyer mais contido rítmico, Taborn mais centrado na melodia e nas suas derivações narrativas –, se complementam para criar uma música simultaneamente canónica e disruptiva e na qual o jazz do passado e do futuro se justapõe numa linha de tempo contínua.