SÁBADO 14 NOVEMBRO, 21H30

CCVF
César Cardoso Ensemble / Dice of Tenors

César Cardoso saxofone tenor e arranjos

Luís Cunha trompete

José Soares saxofone alto

Massimo Morganti trombone

Jeffery Davis vibrafone

Óscar Graça piano

Demian Cabaud contrabaixo

Marcos Cavaleiro bateria


César Cardoso Ensemble
10,00 eur / 7,50 eur (c/d)

COMPRAR

COMPRAR

Assinatura - todos os concertos
45,00 eur

COMPRAR

COMPRAR

Image

César Cardoso (n. 1982, Leiria) é um saxofonista e compositor com uma atividade diversificada e profícua, desdobrada pela composição em nome próprio, a escrita de arranjos para big bands e orquestras e uma atividade pedagógica que inclui, para além da docência, a escrita de dois livros de teoria de jazz. Um músico com formação no Hot Club de Portugal e na Escola Superior de Música de Lisboa, César Cardoso iniciou o seu percurso musical na banda Desbundixie, na qual colaborou com Maria João e Filipe Melo, e editou até à data quatro registos discográficos em nome próprio, no âmbito dos quais trabalhou com músicos como Demian Cabaud, Bruno Pedroso e André Sousa Machado. O saxofonista é também fundador e diretor artístico da Orquestra de Jazz de Leiria, grupo que tem desenvolvido um trabalho relevante com algumas das figuras de destaque da música popular contemporânea portuguesa, como Camané ou Luísa Sobral, entre outros.


No Guimarães Jazz, César Cardoso irá apresentar, em conjunto com um grupo de músicos reputados do jazz nacional como o pianista Óscar Graça e o baterista Marcos Cavaleiro, o projeto “Dice of Tenors”, o qual deu a origem a um álbum homónimo e que, tal como o nome indica, se centra na escrita de novos arranjos para uma seleção de standards do jazz compostos ou interpretados por alguns dos grandes saxofonistas tenor da história desta música – como por exemplo John Coltrane, Dexter Gordon ou Sonny Rollins, entre outros. Além da homenagem inerente à extraordinária música criada por alguns dos compositores mais importantes do século XX, este projeto pretende, segundo o seu mentor, explorar novas técnicas a partir de um conjunto de obras clássicas, acrescentando-lhe complexidades harmónicas e rítmicas capazes de espelhar as transformações da perceção da música ao longo do tempo.